5 Razões que justificam os níveis de 30 a 60% de reprovações no TAF

5 Razões que justificam os níveis de 30 a 60% de reprovações no TAF

Tem nos chamado muita atenção os índices negativos de candidatos reprovados nos Testes de Aptidão Físicos em concursos.


A primeira coisa que o público em geral de concursos da carreira policial (que envolvem testes físicos) costumeiramente dizem que o TAF é moleza. É muito importante ter em mente: o TAF não é moleza e ele cobra caro aos que o menosprezaram. Se o candidato não se preparar corretamente tanto física, como mentalmente, ele terá grandes chances de ser reprovado.

Separamos 5 motivos que fazem com que o candidato reprove no TAF:

1 - Ignorar ou desconhecer condições físicas atuais

Imagine você saindo de manhã para fazer sua corrida matinal: Para onde vou? Por onde vou? Quanto tempo corro? Quais dificuldades que oferecem o terreno? Aclive ou declive? Por quanto tempo consigo correr?

Pois bem, muitos concurseiros iniciam seu treinamento nessa perspectiva, mas não saber de suas condições físicas prévias faz você estabelecer um nível de intensidade e volume incondizentes com suas capacidades.

Existem pessoas que expressam um comportamento positivo perante a vida produzindo uma autoestima elevada que lhes beneficiam em vários aspectos, mas em se tratando de prepara ção para o TAF penso que as influências emocionais desvirtuam nosso olhar crítico e a vezes promovem uma visão distorcida de nossa condição física atual. Acabamos não conhecendo nosso ponto de partida.

Por negligencia, falta de conhecimento técnico ou atenção do concurseiro ao grau de complexidade do TAF acaba-se superestimando ou subestimando suas reais potencialidades e limitações.

Sabemos que o processo de envelhecimento promove a diminuição orgânica e funcional de nosso corpo. Por exemplo; perdemos 1% de potência aeróbia ao ano depois dos 30 anos de acordo com o estudo de Matsudo SMM, Matsudo VKR, Barros TL. Impacto do envelhecimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física. Rev Bras Ciênc Mov 2000;8:21-32.

Ocorrem também modificações da síntese e do metabolismo protéico, admitindo-se que ocorre perda de 1% da função, a cada ano, após os 30 anos de idade de acordo com ANJOS, E.M; CUNHA, M.R; RIBAS, D.I.R; GRUBER, C.em seu estudo ( Avaliação da performance muscular de idosas não sedentárias antes e após aplicação de um programa de exercícios de equilíbrio. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. vol.15, n.3, 2012), comprometendo diretamente nossa capacidade de produzir força.

Qual a importância disso? Pois bem, essa informação é relevante na medida em que nunca sabemos nosso real condicionamento. E aí esta o motivo para você procurar preparar-se com quem tem experiência e expertise no Treinamento para o TAF

2 - Ausência de planejamento adequado

Já é de conhecimento comum nas rotinas de quem prepara-se para um concurso a elaboração de um planejamento de estudo, o que na preparação para o TAF chamamos de “periodização de treinamento”, é nela que organizamos a intensidade e volume por períodos (anual/mensal e diário), afim de obter o melhor ganho de condicionamento para as aptidões treinadas.

Para tanto, precisamos dar a dose certa de carga de treino para o período planejado ou do dia do “Teste de Aptidão Física”. Além de saber a dose correta, é preciso treinar o grupo muscular certo, como o exercício mais adequado ao praticante diante suas limitações e especificidades de condições para a prova. Erros cometidos no controle destas variáveis podem colocar tudo a perder.

3 - Execução incorreta de movimentos

Esta aí um erro comum e grave cometido por concurseiros envolvidos no treinamento para o TAF, o pior disso é que a cada momento que você se exercita incorretamente ganha condicionamento tornando-se “cada vez melhor no erro”. O trabalho que se tem para corrigir será dobrado, desfazendo o erro e adaptações do sistema musculoesqueléticas já perpetuadas tendo que iniciar um novo processo de aprendizado de gesto motor para novos ganhos neuro musculares.

Talvez você não tenha tempo pra isso!

4 - Ansiedade e over training/lesão

Intimamente ligado ao item anterior que fala sobre ausência de planejamento, trata-se de uma conseqüência, pois conforme se aproxima o dia “D” e as expectativas geradas inicialmente sob os ganhos esperados não ocorrem o concurseiro pode por ansiedade envolver-se numa condição de “super treino” não recuperando suas reserva energéticas e seu corpo dos danos teciduais. A resposta a tantos treinos não recuperados é a ausência de ganhos de condicionamento e o possível efeito deletério ao organismo chamado Over trainning, aumentando bastante o risco de lesões ou fraturas por esforço.

5 - Desmotivação e treinamento insuficiente.

Assim como algumas pessoas respondem de forma exacerbada a pressão natural imposta pela existência de um calendário a ser cumprido com ansiedade, outras ficam desmotivadas e iniciam uma sucessão de eventos de auto-sabotagem, gerando o obvio resultado “ausência de condicionamento”. Isso fixa um ciclo de treinamento insuficiente  desmotivação que se retroalimenta.

Aqui você já desistiu de seu sonho, pois sem reforço positivo ninguém persevera.

Pra que você não cometa esses erros é que existe o CT CrossFire21, pois entendemos suas dificuldades e estamos preparados para atender suas necessidades.

Sabemos que são muitas as etapas mas não pode ser por causa do TAF que você vai reprovar,por isso nosso compromisso em lhe dar todos os recursos para lhe preparar para este concurso.

Confie você vai passar.

Venha nos conhecer. Conhecer nossa estrutura e equipe multidisciplinar e boa prova.